Introdução

Infelizmente no Brasil, tratamentos ultrapassados e ineficazes estão voltando intensamente ao mercado profissional Odontológico como forma de tratamento para as Disfunções da ATM (Articulação Temporomandibular), devido ao marketing promovido pelas firmas que “empurram” a venda desse tipo de terapia como solução eficaz para as dores e disfunções articulares, visando lucro e repasses financeiros para os profissionais usuários dessas terapias.

Artrocentese e Artroscopia

As artrocenteses (punções aspirativas) e artroscopias são procedimentos ultrapassados das décadas de 70 e 80, e que somente nos Estados Unidos deixaram milhares de pacientes sequelados devido às frequentes punções da ATM. Essas técnicas de cirurgia minimamente invasiva da ATM, assistida por vídeo, foram introduzidas no mundo em 1975 pelo Japão, lideradas pelo pesquisador Onishi. Essas técnicas não tratam da ATM, não reposicionam o disco articular, tampouco resolvem os problemas adnexos que o paciente tem, como por exemplo, má-oclusão (mordida errada) e/ou deformidade dentofacial associada.

Desde então, sempre surgem novas publicações “tentando” mostrar que a Artroscopia Contemporânea trata as Disfunções da ATM. Porém, em um trabalho científico de estudo por meta-análise, publicado em junho de 2015 (E.A. Al-Moraissi: Open versus arthroscopic surgery for the management of internal derangement of the temporomandibular joint: a meta-analysis of the literature. Int. J. Oral Maxillofac. Surg. June, 2015; 44: 763–770), comparando a cirurgia aberta versus a artroscopia da ATM, mostrou claramente que a cirurgia aberta continua o método mais eficiente, eficaz e efetivo para tratar do paciente com dor da ATM que apresenta deslocamento discal.

Viscossuplementação (Ácido Hialurônico) para ATM

Não existe nenhum trabalho científico na literatura mundial, duplo-cego, randomizado, com grupo controle, que se quer prove que a Viscosuplementação (injeções de Ácido Hialurônico – hialuronidase) nas ATMs trate de qualquer tipo de doença dessa articulação ou que reposicione o disco articular.

Injeções de Corticóides na ATM

As injeções de corticosteroides (corticoides) dentro das ATMs provocam destruições progressivas dessa articulação, agravando ainda mais a Osteoartrose, tendo esse tipo de tratamento sido denominado, na década de 80 nos EUA, de Condilectomia Química, tal o maléfico resultado.

A literatura científica mundial, prova que clinica e histologicamente o deslocamento do disco articular leva à Osteoartrose da ATM. Má-oclusão e feformidade dentofaciais também contribuem para a instabilidade do disco articular e progressão da Osteoartrose.

Sabe-se que a Osteoartrose é progressiva e degenerativa e todos os fatores intervenientes, participantes e contributivos para que essa doença articular progrida devem ser retirados de cena, entre eles: má-oclusão, hábitos viciosos da mastigação, deformidade dentofacial, o próprio deslocamento discal e doenças autoimunes ou do tecido conectivo.

Placas Oclusais

A famosa “placa oclusal” de acrílico, chamada tecnicamente de Dispositivo Interoclusai (DIO) podem e devem ser usados TÃO SOMENTE para retirar o paciente do quadro de dor aguda e servem para aliviar a compressão da ATM que gera dor. Seu período de uso proposto pelo profissional não deve ultrapassar 2 meses. Não existe nenhum trabalho científico, em qualquer parte do mundo, que mostre a efetividade do DIO para o tratamento da Osteoartrose da ATM. O DIO não reposiciona o disco articular e nem dá estabilidade permanente à ATM e à oclusão. O mais absurdo é encontrar na minha prática privada pacientes que chegam para tratamento usando o DIO por anos, tendo alguns deles, já usado de 7 a 14 tipos diferentes desses dispositivos. Um absurdo, uma aberração profissional.

Cirurgia para Reposicionamento do Disco Articular

Os deslocamentos discais são tratados eminentemente de forma cirúrgica com grande sucesso. O disco articular da ATM quando deslocado (normalmente para anterior) não protege mais o côndilo da mandibular e precisa ser reposicionado e ancorado, do contrário a progessão da Osteoartrose é evidente. O disco articular não sendo reposicionado, acaba se degenerando e se deformando com o passar dos anos, podendo não mais ser salvável.

Para a liberação do disco articular e seu reposicionamento, existe desde 2001, uma técnica mundialmente consagrada, desenvolvida pelo Dr. Larry M. Wolford DMD, cirurgião bucomaxilofacial de Dallas – Texas, EUA, que emprega uma pequena incisão e uma mini-âncora chamada Mitek Anchor.

Doenças autoimunes ou do tecido conectivo que comprometem à ATM ocasionando a Artrite Reumatóide, Artrite Reabsortiva, Artrite Psoríatica, entre outras, precisam ser investigadas e tratadas de forma correta pelo Médico Reumatologista e não pelo Cirurgião Dentista.

NÃO PERMITA, de forma alguma, que seu Cirurgião Dentista, Cirurgião Bucomaxilofacial, Especialista em Disfunção e Dor Temporomandibular ou mesmo Médico injete qualquer substância ou produto (fármaco) dentro da sua articulação. Esse procedimento pode ser o princípio do FIM para sua articulação, condenando-a a ser tratada com uma prótese articular, que é o último estágio de tratamento da ATM.

Consulte sempre e primariamente um Cirurgião Bucomaxilofacial no Brasil que faça parte da Sociedade dos Cirurgiões da ATM – ASTMJS (American Society of TMJ Surgeons).

O Dr. Éber Stevão foi o primeiro Cirurgião Bucomaxilofacial a fazer parte da ASTMS desde 2008 e continua como membro titular internacional dessa entidade.