1. O que é a Cirurgia Ortognática?

Poucas pessoas sabem, mas a correção das deformidades dentofaciais, no mundo todo, é de competência e responsabilidade do Cirurgião-Dentista, mais precisamente do especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. A  Cirurgia  Ortognática é o procedimento cirúrgico indicado para correção das alterações faciais. Essa cirurgia tem por objetivo corrigir o posicionamento dos ossos mandíbula e maxila, colocando-os em equilíbrio funcional e estético com o restante da face. O tratamento consiste em fases distintas. Primeiramente, o paciente deve consultar o ortodontista e o cirurgião bucomaxilofacial para serem definidos o diagnóstico e o plano de tratamento. O tratamento inicia com a Ortodontia para posicionar os dentes corretamente na mandíbula e maxila.

2. Quais são as principais causas dessas deformidades da face?

A maioria dos pacientes que têm deformidades na face, enquadram-se no grande grupo dos portadores de “Anomalias de Crescimento Ósseo”, cuja causa dificilmente se explica e em alguns casos o fator genético está envolvido. Na maioria dos casos, as crianças crescem aparentemente sem qualquer problema facial ou dentário até aos 7/8 anos de idade e só a partir dessa idade, começam a aparecer os sinais de desarmonia dentária e/ou facial.

Certamente, são os Cirurgiões-Dentistas clínicos ou Ortodontistas que habitualmente chamam a atenção dos seus pacientes para a existência de alguma deformidade e esclarecem os pacientes e seus familiares sobre a possibilidade de tratá-las.

3. Como são tratadas essas deformidades?

O tratamento correto e indicado para uma deformidade dentofacial envolve dois tipos básicos de procedimentos:

  • Utilização de aparelhos ortodônticos fixos em ambas as arcadas dentárias; e
  • Cirurgia corretiva chamada de Ortognática.
4. Quais são os objetivos desse tratamento ?
  • Correção do posicionamento dentário;
  • Correção da disfunção mastigátoria;
  • Eliminação da dor miofascial que pode estar associada;
  • Correção da estética facial;
  • Correção da mordida (oclusão).
5. Qual é a sequencia desse tratamento?

Após o diagnóstico, plano de tratamento ortodôntico e cirúrgico definidos completamente, inicia-se o tratamento com aparelhos fixos através de um especialista nessa área chamado Ortodontista. Esses aparelhos servem para posicionar os dentes de uma forma que permita durante a cirurgia, realinhar a maxila e a mandíbula dentro de um padrão funcional e estético aceitáveis, consequentemente dando ao paciente uma nova aparência, com uma maior simetria e harmonia facial. Os aparelhos ortodônticos estarão presentes nas arcadas durante todo o tratamento até após a cirurgia e será o Ortodontista quem determinará o momento final quando eles serão removidos.

 Avaliação  Preparação  Cirurgia  Recuperação  Controle
Consulta inicial 6 a 24 meses(Ortodontia) 1 a 6 horas(Anestesia geral) 6 a 12 meses Indefinido
6. Quanto tempo demora em média a preparação ortodôntica?

O tempo de preparação ortodôntica dependerá das posições dentárias existentes. Quanto mais desorganizados os dentes estiverem, maior o tempo preparatório. Também irá importar se extrações dentárias estiverem indicadas para ajudar no tratamento ortodôntico pré-operatório. Mas em média esse preparo leva de 16 a 24 meses. Contudo, muitos pacientes podem ser operados poucos meses após a colocação dos aparelhos  por apresentarem posições dentárias muito favoráveis e que não exigem grandes movimentações.

7. Essa cirurgia é estética?

Não, em absoluto. Apesar de obtermos resultados estéticos muito favoráveis e que acabam por alterar para melhor o perfil facial dos pacientes operados, é o resultado obtido através da busca da funcionalidade, evitando problemas mais graves no futuro, principalmente na Articulação Temporomandibular. O que se obtém esteticamente como resultado da cirurgia ortognática é uma nova harmonia facial.

Como a cirurgia envolve o reposicionamento de estruturas ósseas presentes na face é natural que sejam esperadas algumas alterações. Entretanto, são realizados vários estudos pré-cirúrgicos que norteiam todos os procedimentos cirúrgicos para se obter um resultado harmônico, evitando desta forma, as discrepâncias que podem se traduzir em um resultado não agradável ao paciente.

8. Meu convênio médico de saúde cobre esse tipo de procedimento?

Sim. Hoje qualquer plano de saúde obrigatoriamente deve cobrir os procedimentos chamados bucomaxilofaciais. Exatamente por não ser estético, o diagnóstico revela um problema funcional e por isso deve ser realizado antes de trazer consequencias maiores. O profissional que executa esse tipo de procedimentos cirúrgicos é um Cirurgião-Dentista, com especialidade na Cirurgia Bucomaxilofacial, especialidade exclusivamente da Odontologia. Consulte o seu cirurgião bucomaxilofacial e providencie as documentações necessárias para realizar o seu procedimento cirúrgico.

9. Como será o período após a cirurgia?

Logo após a cirurgia, o paciente é acordado da anestesia e é encaminhado para a sala de recuperação anestésica, onde poderá receber os cuidados imediatos da enfermagem para o seu restabelecimento. Não é feito nenhum tipo de bloqueio da boca, mas em algumas situações o paciente estará usando alguns elásticos entre os dentes para orientar a mordida (oclusão). O paciente poderá falar e fará alimentações leves nos dias que se seguem. O inchaço da face está sempre presente, mas é moderado. Vários medicamentos são prescritos durante e após a cirurgia para diminuir esse inchaço. Também serão prescritos medicamentos para dor e contra uma possível infecção durante e após a cirurgia.

10. Quanto tempo demora a recuperação?

Após a alta hospitalar, que pode ser um ou dois dias após o internamento, a alimentação será somente líquida a pastosa por várias semanas. Dependendo do tamanho da cirurgia, em condições normais, o paciente poderá retomar suas atividades profissionais dentro de um período de 10 a 15 dias. Os exercícios físicos deverão ser suspensos por alguns meses também, para não afetar a cicatrização dos ossos operados.

11. Poderei ter contato com outros pacientes que já foram operados de casos similares ao meu?

Obviamente que sim e é essencial que se estabeleça uma relação de confiança entre o paciente e a equipe que irá lhe tratar. Para tanto, é fundamental que se tenha acesso a outros pacientes previamente tratados pela equipe para discutir sobre eventuais ansiedades e dúvidas. Nada poderá ser melhor para uma decisão consciente e um consentimento informado do que ter contato com quem já teve a oportunidade de ser submetido a uma cirurgia ortognática e que poderá transmitir sua experiência e sua vivência com a nova harmonia.

12. Tenho uma indicação para uma cirurgia ortognática?

Caso o seu Ortodontista ou Cirugião-Dentista tenha diagnosticado em você algum tipo de deformidade da face (maxila e/ou mandíbula), que traz como consequência um comprometimento na oclusão dentária (mordida) ou estética facial, sim, você é um(a) candidato(a). Tanto a oclusão quanto a estética facial serão corrigidas através do tratamento Ortodôntico e Cirúrgico.

As deformidades podem estar associadas com alterações na forma e no tamanho dos ossos que constituem a face. As alterações mais frequentes são:

  • Sentido ântero-posterior – a mandíbula (osso que contém os dentes de baixo) em uma posição avançada ou recuada em relação à maxila (osso que contém os dentes de cima) ou vice-versa;
  • Sentido vertical – impossibilidade dos dentes anteriores se tocarem (mordida aberta anterior), ou exposição exagerada da gengiva superior (sorriso gengival) ou a existência de uma mordida profunda, onde os dentes mais à frente impedem que os detrás sejam visualizados;
  • Sentido transversal – alterações de proporção entre a maxila e a mandíbula. Poderão ainda estar associadas outras deformidades, sendo que as mais freqüentes são as doenças da Articulação Temporomandibular.

 Texto escrito por Éber Stevão  CROPR 7861. Todos direitos autorais reservados.