Fisioterapia aplicada às Disfunções Temporomandibulares e Dores Orofaciais

O Instituto Nacional de Pesquisa Dentárias e Craniofaciais dos EUA relata que aproximadamente 11 milhões de Norte Americanos sofrem de problemas relacionados à Articulação Temporomandibular (ATM) e no Brasil esse número é ainda mais elevado.

A conduta no ICOC para o atendimento de pacientes com problemas disfuncionais da ATM é sempre de forma multi, inter e transdisciplinar. Na área da fisioterapia, o atendimento é realizado por profissional especializado que avaliará a mecânica de funcionamento das ATMs, localizará os sítios de dor, bem como o desequilíbrio da musculatura cervicofacial, a fim de indicar um tratamento que inclua a combinação de várias técnicas: frio/calor, estimulação mioelétrica, alongamento muscular, massagem, reeducação postural e terapia manual (mobilização articular).

Exercícios musculares caseiros podem ser indicados pelo fisioterapeuta, enfatizando o treinamento neuromuscular para melhorar a coordenação muscular, a fim de aliviar a dor e disfunção.

Os pacientes que realizaram a cirurgia das ATMs se beneficiam muito no pós-operatório através das técnicas fisioterápicas, reduzindo a dor, melhorando a mobilidade e o funcionamento articular.

Texto escrito por Éber Stevão  CROPR 7861. Todos direitos autorais reservados.